quarta-feira, 30 de maio de 2007

De 2004-2007

um texto tosco que eu fiz sobre o Grêmio :)


Fazendo uma breve analise dos fatos que tem ocorrido desde 2004 até 2007 com o Grêmio de foot ball porto alegrense veremos que o que muitos acham pode estar errado.

Final de 2004 o então ano da "morte" do Grêmio para mim nada mais é que do que o renascimento do Grêmio, sim o renascimento do Grêmio.

Foi quando o time tricolor começou a sentir sua forte torcida que mesmo o time estando na ultima posição e já sem chances de permanecer na primeira divisão, a torcida gremista lotava os estádios do interior e demonstrava todo seu amor por este que é chamado de imortal.

Vamos explicar melhor esse "renascimento”, o Grêmio dos anos 90 comandando por Felipão ganhou praticamente tudo, colecionou títulos e a torcida gremista estava acostumada a ver um time aguerrido que ganhava de tudo e de todos, quando não se tinha mais técnica se ganhava na raça. E então eis que veio uma nova década, e o Grêmio acostumado a ter times lutadores começa a formar um time mais "refinado", jogadores como Zinho, Marcelinho Paraíba, Fabio baiano estão no elenco.

Este time foi campeão da Copa do Brasil com folgas, mas esse não o tipo do Grêmio, e nos anos seguintes na libertadores, o castigo veio.

O time então jogando no modo "faceirinho" foi eliminado pelo Olímpia em uma decisão por pênaltis conturbada onde a torcida reclama até hoje de o goleiro paraguaio teria se adiantado na hora das cobranças do Grêmio.

Mas reparem que ficar chorando erros de arbitragem nunca foi a cara do Grêmio, nunca foi a cara do torcedor gremista.

Sempre corremos atrás do resultado sem nunca reclamarmos de erros de arbitragens, apenas levantávamos a cabeça e sempre nos reerguíamos.

O Grêmio havia mudado, havia perdido sua identificação com a raça a alma gaúcha, os torcedores já não estavam tão identificados com o clube.

E então eis que chega o fatídico ano de 2004, mas por incrível que pareça o time do Grêmio é fraco tecnicamente perto dos outros times formados nesta mesma década, este time têm mercenários e nem a raça que muitas vezes bateu a técnica existe neste time.

O campeonato tem seqüência e o Grêmio vai tendo fracassos atrás de fracassos, mas no fim do campeonato, com o time praticamente rebaixado surge algo que estava escondida desde a época do Grêmio copeiro e peleador de Felipão.

A imortalidade volta a dar sinais de vida para os lados da azenha, sim em um jogo perdido de 3 a 0 no primeiro tempo em Erechim, o Grêmio comandado por Cláudio pitbull busca um empate heróico e acaba tirando o atlético paranaense do caminho do titulo.

Este Cláudio pitbull criado no olímpico acostumado a ver grandes jogos do tricolor, da espetáculo novamente contra o palmeiras mas não é suficiente e o Grêmio cai para a segunda divisão.

Muitos diriam que o Grêmio estaria morrendo, prefiro acreditar que era a volta da imortalidade.

Um time falido, sem grandes jogadores, mas com algo que nenhum time tem igual. A torcida tricolor da show na série B, e sem técnica, mas com muita força ,vontade, raça e apoio fervoroso da torcida o Grêmio vai chegando depois de um inicio preocupante.

O Grêmio segue batendo os então "favoritos" dentro do monumental os adversários tremem ao encarar o Grêmio, mas não se enganem, não era só o Grêmio jogando eles estavam enfrentando mais uma massa inteira disposta a levar o tricolor para o seu lugar de origem.

ENTRE OS GRANDES.

O Grêmio é tido como um dos mais fracos da competição, porém quando entramos em uma competição, entramos para ganhar.

Não gostamos de ser vice ou então de apenas nos classificarmos sempre entramos para ganhar e podem ter certeza, esta camisa que vos digo, azul preta e branco pesa e como pesa em uma decisão, o náutico que o diga.

Quando muitos falam deste jogo ser o jogo mais "varzeano" eu até concordo, porém essa várzea que aconteceu fez com que eu sentisse que o verdadeiro Grêmio. O Grêmio copeiro e imortal estava de volta, pois a imortalidade, aquela mesma que começou a denunciar sua volta no final de 2004, estava de volta e com força total nesta decisão que vencemos de forma inacreditável.

Na raça mais uma vez, contra tudo e contra todos, o Grêmio saiu campeão.

Não se deve vangloriar um titulo de "acesso" é o que muitos falam, mas acredito que muitos gremistas assim como eu não comemoraram o tal "acesso" mas sim a volta do imortal tricolor e tamanha façanha que havia realizado.

Sempre nos subestimam e sempre acabamos surpreendendo a todos que desconfiavam de nós.

O Gauchão de 2006 foi mais uma prova disto, quando todos achavam que a goleada viria para os lados do beira rio, o que se viu foi mais uma taça e a décima sétima conquista de gauchão em cima do inter, em pleno beira rio.

No brasileiro éramos candidatos ao rebaixamento, porém desafiando tudo e todos patrolamos quase todos adversários no olímpico, e nossa campanha foi razoável chegando a libertadores sim nosso real sonho era o titulo, mas pelas circunstancias foi muito boa essa campanha.

Chegamos ao ano de 2007, e junto a Libertadores da América.

Na lista de favoritos de muitos estavam: Inter, São Paulo, Santos e até o Flamengo na nossa frente.

Os jogos vieram e a desconfiança só aumentava, começamos a nos complicar perdemos jogos considerados fáceis por muitos, para adversários "ridículos" segundo outros, e em meio a uma derrota para o Caxias no Gauchão, todos diziam:

"Grêmio eliminado do Gauchão e da Libertadores" .

É mas eles duvidaram do time errado, da torcida errada.

O Grêmio mais uma vez mostrou todo seu poder dentro do monumental e junto com toda massa gremista reverteu um placar contra o Caxias, mas para muitos isso era o Gauchão, na Libertadores era diferente.

Precisávamos ganhar de 1 a 0 , e de 1 a 0 ganhamos.

"Grêmio do regulamento debaixo do braço" - já dizia o bom jornalista peninha.

Nas oitavas de final, encaramos o São Paulo, dito por muitos o favorito depois da desclassificação precoce do internacional.

E em São Paulo perdemos por 1 a 0, tiveram a chance de nos matar, quando Souza entrou livre e tentou encobrir Saja.

Deviam ter nos matado enquanto podiam, pois apenas provocaram o IMORTAL.

E mais uma vez seguindo os cânticos de sua torcida o Grêmio foi imortal e reverteu o placar diante do favorito São Paulo, mas ainda não passávamos de "zebras".

Fomos ao Uruguai, e lá em uma partida para ser esquecida, perdemos por 2 a 0.

E a velha desconfiança voltava

"Este time é muito fraco já esta fora da Libertadores"

Mas ainda restava o jogo da volta, e o Grêmio de novo foi IMORTAL.

Dessa vez o placar não foi revertido, chegamos ao empate no placar agregado.

E nas penalidades o Grêmio conseguiu a vaga, e olha que as penalidades não é o forte do Grêmio.

Pelo que me lembre a ultima vitória foi em 95 pela Copa do Brasil em cima do Flamengo de Luxemburgo e companhia.

Luxemburgo este nosso próximo adversário, que venha o favorito santos, pois não queremos enfrentar os fracos, queremos ganhar dos grandes.

Pois segundo uma jornalista do sportv,esta é a definição para o Grêmio.

"O Grêmio é que nem bola de neve vai passando por cima de tudo e só vai crescendo"

Nosso time esta em crescimento, este time pode não ser primoroso na técnica, mas nele existe algo que nas outras equipes não se encontra.

A ALMA.

Este time tem alma tem sangue de guerreiro, este time é imortal, tem raça é copeiro. Faz-me lembrar os anos 90.

A imortalidade esta de volta, portanto, segurem-nos, pois o imortal voltou e agora é pra ficar.

Reconquistaremos tudo que já foi nosso.

RUMO AO TRI DA AMÉRICA

Matheus Sulis

2 comentários:

  1. DALE GRÊMIO !

    RECONQUISTAREMOS.

    A PRIMEIRA BATALHA FOI NOS AFLITOS.

    ResponderExcluir