sábado, 28 de março de 2009

Sobre o alcool.


Anima-me, me deixa diferente. Tu que me consome, me deixa extasiado e ao mesmo tempo insosso.

Tu despertas meu intimo sentimento e meu sonho mais longínquo.

Por quanto mais serei teu. Sou teu mais fiel amante, aquele que te ama, mesmo distante.

Sinto os traços do alcoolismo, mas não que isso importe. Meu desejo é forte e ameaço chorar perante as lembranças. Te amo mangol e talvez isso jamais tenha sido tão sincero quanto agora.

Lágrimas que escorrem por minha face, choro que compulsivo me traz soluço. Te quero, por favor volte a mim. Não direi mais nada, as lagrimas respondem por mim.

Sou este que chora por ti, tal como um idiota. Idiota apaixonado, este do coração dilacerado.


Matheus.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Sobre uma partida.


A vejo ir embora. Ignorando meu lamurio, minha face triste. Soluço ao te ver partir, sem dó, sabendo que te amo.

Lágrimas se atrevem a cair do meu rosto, insosso agora, pálido, sem vida após a tua partida.

Tu me fazes oscilar, me contradizer e ser totalmente inconstante. Contigo não tenho receios, na verdade nem penso na vida. Foco-me em ti, só te quero, sempre te quis. Olho nos teus olhos e ameaço correr, talvez não seja a hora.

Não sei qual será o fim, ou se este já chegou. Quero-te por uma eternidade, nem que seja de longe, só te olhando dançar.

Mesmo sem graça, aquele que deixa as bochechas rosadas, teu sorriso é magnífico, capaz de me alterar. Estou em transe, completamente perdido por tua beleza, teu charme e envolto a uma bela paixão.

Teus lábios ainda sonho beijar e tuas mãos de novo eis de segurar. Quero acreditar e fingir que este devaneio tem sentido.

Por mais uma noite tu me prende, talvez seja só o começo de muitas.


Matheus.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Sobre um curioso caso.


Sob o meu peito cresce uma paixão. Parece ser emanada, saindo de meu coração. Teu esplendor a provoca, a chama para fora. Ela quer sair, porém não sabe como se mostrar.

De meus olhos, entreabertos, vem à visão sublime. Pequeno oásis que guardo junto de minha memória, dentro de meu peito. Minhas mãos, agora tremulam, se contorcem, massacrando meus pobres dedos.

Estranho nervosismo que me consome, querendo a ver não importa quando.

Sorriso que me causa, sem graça, pouco charmoso, porém, feliz. Pisco a ti, querendo ser engraçado, querendo lhe ter, a conquistar por essa minha brincadeira tão real.

Vou te abraçar, quero teu braço quente envolto ao meu, teu cheiro tão próximo de mim.

Teu beijo me lança, vou ao céu, as estrelas sonhar. Quero teu aroma e teu jeito meigo de sussurrar; dizer que te amo e um beijo ganhar.



Matheus.

terça-feira, 24 de março de 2009

Sobre pensamentos que voam.


Me perco em teu olhar. Profundo, lindo e ingênuo. Não tenho pressa de me achar, voltar a minha realidade. Continuo assim, diferente, rindo a toa só de pensar em ti.

Tu és capaz de inflar os meus pensamentos de felicidade e transformar meu choro em riso compulsivo. Minhas mãos procuram as tuas e não as encontro.

Acabo rindo, sorriso largo e sensação de paz. Pensamentos que voam sem direção, que sem sentido me confundem. Cabeça ao vento, olhos que se dissipam na escuridão, no horizonte.

Sentimento que não me causa mais ânsia, que agora me traz leveza. Compreendo-me e tua felicidade apenas me completa. Sou teu e talvez venha sempre a ser.

Procuro-te no escuro, quero iluminar meu pensamento, trazer mais vida a ele.

Tu me fazes amar, me faz sentir tudo e ao mesmo tempo nada. Sinto saber o que quero, mas não sei como o fazer.

Me sinto ansioso, mas tu me passa serenidade, calma, mesmo quando anseio lhe ter.

Acho que estou em meio a uma paixão, não sei quão grande, mas não tão singela quanto uma de verão.


Matheus.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Sobre uma última chance.


Talvez seja impossível. Tento por todos os dias a conquistar, demonstrar o que sinto e o que faria para tê-la novamente.

Não quero a perder por completo, ser esquecido, nada ter significado em sua vida.

Meu coração dispara, meus olhos começam a lacrimejar, suspiros de tristeza.

Volto a lhe dizer que ainda sonho em te conquistar. Quero ir contigo as estrelas e morar lá, para que o sempre seja verdadeiro.

É lindo lembrar do teu doce sorriso, alegria constante. Sou realmente bobo por ti, por tudo que tu faz e pela forma como me mudou.

Sou eu ao teu lado, querendo te agradar, de formas inusitadas, mas não menos carinhosas.

Desculpe-me pela falta de jeito. Te quero e não sei como demonstrar isso de forma mais clara.

Sou tosco, até demais, mas te juro que tentei de tudo para te impressionar. Estarei recluso, a tua espera e de mais ninguém. És tu que domina meus sentimentos e pensamentos.

Meu profundo olhar não sabe como dizer, demonstrar que tanto a desejo, o quão isto me consome.

Dormirei com um pensamento, um sonho em minha mente. Tentarei até meu último suspiro a conquistar, conseguir dizer que a amo e que isto parece ser definitivo.

Oi, será que contigo não tenho mais nenhuma chance?

Matheus.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Sobre algumas sensações.


Sorriso estampado, sublime sensação. A tenho dentro de mim, mesmo que em meus mais profundos sonhos e mais belos devaneios da madrugada.

Ainda posso me sentir envolto aos teus braços, quentes e aconchegantes. Sentir teu rosto corar, fazer um sorriso sem graça mais gracioso do mundo.

Consigo relembrar teus beijos, inocentes, ingênuos e mágicos. Meu coração ainda recorda das vezes que contigo fiquei sentado, esperando a eternidade chegar.

Minhas mãos esperavam as tuas, lisas, maiores que as minhas, para fazer cócegas em tuas palmas e brincar entre teus dedos.

Jamais esquecerei teu cheiro, sedutor, o caminho do infinito, do mar de rosas que sempre imaginei.

Tudo está devidamente guardado e nunca se apagará. Cada lágrima não representa a dor, mas sim o amor que sinto por ti.

Amor que me completa, que me fez feliz e continuará fazendo.


Matheus.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Sobre uma paixão.


Sou estranho. Não me entendo, talvez ninguém me entenda.

Meu coração bate diferente por ela. Esta que ousa duvidar de minha paixão. Serena, capaz de me tirar do sério, de confundir os sentimentos do mais cético.

Eu te amo. Do fundo lhe digo, falando teu nome aos quatro cantos. O mais profundo desabafo, grito de louvor.

Tu jamais estarás sozinha. Meu coração acompanha teus passos, teus pensamentos e teus martírios. Será minha eterna paixão. Louca paixão, arrasadora que desmantelou aquilo que sempre preguei.

Lágrimas que não correm. Sussurros de uma paixão, face luminosa. Tu me deixas diferente, sublime, calmo e a ti querendo agradar. Meus pensamentos vagam em minha memória.

Daria uma vida para que tudo parasse no momento que segurei tua mão pela primeira vez.


Matheus.

domingo, 15 de março de 2009

Sobre o bem.


Eu menti. Como sempre sou pego na mentira. Vou ao encontro da minha nova paixão, arrasadora posso dizer.

Meu coração ainda diz que estou apaixonado. Expresso minha paixão através da minha mais pura preocupação. Meu peito palpita de forma curiosa. Busco o ar, respiração profunda e olhos cansados.

Estou sob este encanto. Sonho estar ao teu lado e contigo enxergar as estrelas. Quero tua felicidade, doce e ingênua, sob qualquer custo.

Meus olhos fitam tua passagem, teu caminhar sublime. Teu olhar profundo e carinhoso, me faz sentir a paz.

Tua fala mansa, jeito espontâneo, riso de menina, remete a perfeição.

Quero segurar tua mão para sempre, dizer que estou aqui, mesmo que isso pareça um clichê dos mais básicos.

Sou rude, não sei me expressar. Talvez só consiga dizer que tu me conquistaste e que isso não parece passar.

Eu te vejo tão bela por entre meus pensamentos. Viajo acordado, sorriso abestalhado, e percebo o quanto quero te agradar.

Paixão que me sustenta, que me faz querer o teu bem. Gosto de estar assim por ti. Busco a ti conquistar, não quero mais tentar te esquecer, dar um fim a algo que gosto. O sentimento é sincero e eu já cansei de tentar descreve-lo.


Matheus.

sábado, 14 de março de 2009

Sobre uma capa.


Cortina que me cobria. Estranha capa que me escondia. Resolvi voltar, não ser mais aquele que tanto odiei.

Minha revolta me satisfaz. Minha irritação me faz crer que posso, sou capaz de reassumir o antigo rumo.

Cansei das inúmeras frases de amor, das intensas declarações e de seguir algo, ou alguém, que não me da importância.

Não sou o mesmo que deixara passar. Meus olhos parecem finalmente se abrir e, sob a face da desilusão, começo um novo trajeto.

Dificilmente conseguirei esquecer. As decepções me dizem o que não ser. Sou aquele que não quer mais e que quer distância de tudo que lhe causara mal.

O cansaço determina o fim. Cansei de como levei tudo por este tempo. Meu amor não sucumbirá, mas enterrado tentarei o manter.

O alento não me é mais saboroso. Sinto o desgosto da desilusão. Consigo perceber o cheiro da branda e doce reconciliação com meu antigo ego.

A luz que vejo não é clara e muito menos animadora. Enxergo minha face, lúcida, limpa e serena. Meu olhar eloqüente diz que voltei e que nada será como um dia já fora.



Matheus.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Sobre a eternidade.


Acho que jamais a esquecerei. Vasculho meus antigos escritos, antigos arquivos e te reencontro.

Ainda sou aquele bobo apaixonado pelo teu sublime encanto. Tuas rosadas bochechas ainda me conduzem ao imaginável da perfeição.

Teu sorriso perfeito me faz sonhar. Esqueço que um dia fui renegado e a nostalgia é completa.

Encantadores olhos que me hipnotizam. Serei teu por uma vida inteira.

Meus votos são sagrados, assim como esse sentimento que perdura em mim. Sequer deve saber quem sou, mas, não a tiro de minha memória, lembro de ti por todos os dias.

Meus olhos te procuram, na multidão quem sabe, ou em uma esquina qualquer. Meu coração sabe que tu ainda estás dentro de mim.

Ainda a quero, acho que por todo sempre vou te querer. Tu és a perfeição, minha completa e singela paixão, não mais de verão.

Amei-te como jamais amei ninguém. Continuo a te amar, te ver em meus sonhos, devaneios noturnos e assim sempre será.

Hoje te digo o quão consigo te amar. Tua presença me faz falta. Soluço por vezes ao pensar, mas tuas lembranças, marcas deixadas em mim, me fazem melhorar.

Serei este que a ti descreve por uma vida inteira. A eternidade meu amor por ti não sucumbirá. Te amo e mesmo isso não é capaz de definir em palavras este que me consome.


Matheus.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Sobre o descompasso.


Estou envolto ao sublime delírio. Sonho corriqueiro, nada estranho.

Meus olhos estão fechados, não quero abri-los. Meu íntimo segredo é revelado nestas linhas tênues da imaginação e do desejo.

Tua presença flutua em meus pensamentos. Tua beleza, como sempre, é redundante.

O esplendor é emanado em minha direção. Sinto coceira em minhas, geladas e pequenas, mãos.

Meu coração parece estar arrítmico, irregular. Teus passos guiam meus olhos e teu perfume me conduz a algo superior.

O entrelaço dos dedos já não é possível. Insisto em declamar poemas, revelar tua importância, mas isto não parece fazer mais sentido.

Nossas bocas talvez não se toquem mais, estranha sensação de perda.

Sorriso perfeito, eu queria te trazer tamanha felicidade.

Tremulas mãos, soluço preso e sentimentos sendo jogados ao vento.

Acho que jamais me imaginastes assim. Ainda não gosto de me expor, mas não tenho como evitar que assim o faça, não assim, sabendo o que significas a mim.

Meu olhar ainda te exalta, eu te quero e ele revela isso como poucos.

Meu sorriso aparece só ao teu lado, sou bobo, felicidade por estar contigo.

Obrigação de te conquistar. Quero lhe ter, não por mais uma vez, talvez pela eternidade.

Meu descompassado coração ainda lhe te tem como paixão e, dependendo de mim, ainda continuará tendo.




Matheus.

domingo, 8 de março de 2009

Sobre as estrelas.


As estrelas são lindas. Escrevo das alturas, do mais irradiante e estrelado céu.

Minha sensação é estranha. Meus pensamentos se confundem a cada instante. Não sei o que pensar e também não sei se quero pensar.

Minha intensa felicidade contrasta com minha tristeza momentânea. Eu a quero de todas as formas possíveis. Estou encantando, não sei como expressar isso de forma mais clara.

Tua simpática companhia me deixa em êxtase, confuso e bobo. Olho-te com ingenuidade, como se admirasse todo teu encanto.

Cada palavra, cada gesto me faz sonhar, viajar até o infinito mar de rosas, no qual tu és minha, de mais ninguém.

Olho de longe, das estrelas observo o mundo. Sensação de paz contida no último beijo, na última vez que toquei tua mão. Não sou mais aquele que tu queres, talvez jamais tenha sido. Não nego meu fervoroso sentimento por ti.

Meu sorriso demonstra meu ultimo suspiro de glória, meu ultimo riso de orgulho. Talvez não acredite em mim, isto não importa mais. Sei que não sou levado a sério e, pela primeira vez, isto me incomoda.

Minha paixão, suponho que seja isso que eu sinta, é intensa por ti. Tudo cresce tão rápido e, infelizmente, não consigo controlar este que me consome.

Peço-te desculpas em um ato desesperado. Agradeço-te de todo meu coração. Serei teu por um longo tempo.



Matheus.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Sobre o mesmo.


O tempo passou. Já faz um ano que sou outro.

Nada a tira de minha memória. Meu coração ainda tem resquícios de uma antiga e, até então, duradoura paixão.

Relembro cada momento que tive com ela. Tenho hoje uma incrível sensação de paz, mas não que a tenha esquecido, longe disto.

Tomamos rumos diferentes, porém sei que ainda a carrego junto de mim. Não demoro a deitar e relembrar seu sorriso mais que envergonhado. Sua voz ainda é clara em minha mente. Seu cheiro ficou eternizado em mim, junto de tudo que passei com ela.

Hoje a tenho como uma lembrança, algo ainda forte em mim, mas que jamais terá um final feliz.

Sou consciente do amor platônico que sinto e que, querendo ou não, continuarei sentindo por muito tempo.

Meus exacerbados sentimentos são verdadeiros por ela. Tudo que disse ainda tem efeito. Nossa jura de amor eterno ainda é válida para este que vos escreve.

Minhas breves condolências a um coração partido e que dificilmente conhecerá um sentimento tão intenso quanto este que descrevi.


Matheus.

terça-feira, 3 de março de 2009

Sobre nada mais que a pura verdade.


Olá. Ainda não pratico toda essa simpatia que lhe demonstro aqui. Acho que já faz tempo que não conversamos de uma forma direta grande Adolf.

Veio lhe contar que não mudei como tu provavelmente esperavas. O inconstante Matheus agora se conhece.

Asseguro a ti que hoje sei quem sou. Sei que já lhe falei isso por repetidas vezes, mas o real enfim encontra o literal.

Dentro de minha cabeça milhões de coisas se passam. Confundo-me a cada instante, sou controverso ao tentar explicar o que sou, ou o que sinto.

Meus atos condizem totalmente com o que penso e faço tudo de caso pensado. Meu instinto não costuma falhar e mesmo que falhe, eu não dou meu braço a torcer. Sou convicto, isto tenho de admitir, porém às vezes estas convicções me fazem perder algumas amizades, não que eu as queira também.

Reconheço minha intensa falta de educação e com louvor digo que não me mudaria. Não sou o repugnante que muitos falam, nada mal ter esta estirpe.

Tenho poucos e bons amigos, pessoas das quais confio. Mantenho aqueles que não me apetecem, que me causam indiferença, por perto, podem ser úteis.

Acho que já falei demais de mim, esta não era a real intenção deste que vos escrevo. Sinto-me incrivelmente bem.

Queria por hora agradecer a alguém que me surpreendeu muito e continua me surpreendendo. Tenho imenso prazer em relatar o gosto e o sentimento de amizade por esta pessoa. A forma como conversamos, mesmo que por raras vezes parece ser sincera e isso me agrada.

Do auge dos meus 19, quase 20 anos, sinto que ganhei uma amiga, ou quem sabe uma irmã mais nova. Meu devaneio para por aqui.

Boa noite insubstituível Adolf!


Matheus.

domingo, 1 de março de 2009

Sobre uma confusão.


Forte anseio que me faz pecar. Pensamentos insanos, pensamentos que não queria ter.

Angustia que me consome aos poucos. Tamanho nervosismo que me assombra a cada piscar de olhos. Ferrenha ilusão que me acompanha a cada sonho delirante.

Está difícil lidar com toda essa insatisfação, com toda confusão de sentimentos e sensações que por hora me assombram.

Estou encantando, não estou apaixonado. Sou sozinho, mas não queria ser. Gosto de alguém que não me quer.

Gosto de mim mesmo, mas não de como venho agindo. Sou estranho, mas longe de achar isso um defeito.

Não me entendo e nem quero entender. Quero estar contigo e tu és a primeira em muito tempo que me fez dizer isso.

Matheus.