sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Sobre mais uma história.


Encontro me quase deitado. Bocejo intensamente e meus olhos pestanejam calmamente, quase se fechando.

Grande Adolf eu me sinto muito bem. Estou em paz comigo mesmo, sinto controlar meus pequenos surtos emocionais. Minha aparência, apesar de não ser bela, me rende bons frutos e a confiança esta em alta.

Continuo o mesmo ser ignorante e grosso de antes. Faço piadas infames, falo mal de quem não gosto e trato mal a todos que não me apetecem. Orgulho-me de não agradar ninguém para conseguir as coisas. Sou adepto da sinceridade e por vezes isso me prejudica, mas nada que não possa ser contornado.

Gosto da forma autêntica como me manifesto. Meus olhos ainda são pequenos, não mudarei meu olhar irônico. De minha boca só ouvirás baboseiras, ou piadas sem graça.

A brincadeira é sempre a mesma, a não ser que a outra personalidade assuma o comando. Tenho imenso prazer em revelar a tendência à loucura. Isto ainda continua igual. Por algumas, raras, vezes eu assumo meu ego mais esquizofrênico, problemático, engraçado e até assustador.

Meus surtos psicóticos me fazem parecer hiperativo, inquieto. Tento parar, mas não consigo.

Repito frases que acho engraçada e implico com os que estão a minha volta. Faço o olhar de louco, quem sabe tento intimidar aos que estão presentes. O álcool é meu amigo e gosto da forma como nos relacionamos.


Tenham sossego nestes dias em que ficarei fora. Aproveitarei meu final de semana e até o domingo a noite.


Um abraço grande amigo.


Matheus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário