segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Sobre o tempo e o sentimento.


Fazia tempo e como fazia. Dormi como há tempos não dormia, descansei de uma rotina preguiçosa.

Relaxei por alguns dias. A praia parece ter virado parte da rotina e começo a gostar dessa nova atividade.

Deitei, ora no sofá, ora na cama e fui conduzido ao melhor dos sonos. Fui levado pelo som da televisão que apenas ritmava meus sonhos.

Fecho bem os olhos, quem sabe a procura de respostas, e o bocejo vêm, porém não é igual ao dos últimos dias.

Comemoro o fim dos jogos olímpicos. Esporte, espírito olímpico, coisas que sequer existem e são enfiadas goela abaixo.

A bebida, esta verdadeira amiga, foi um bom combustível para a sexta feira sem grandes pretensões. Gosto da sensação de estar alcoolizado, falar besteiras e ser original.

Não que não seja sóbrio, mas é verdade que a bebida faz se desinibir o que a consome.

Estava bêbado, realmente, e por mais que isso sempre revele o sentimento antigo, desta vez fora diferente, ao menos é isso que eu acho. Não me recordo muito das coisas que falei, porém tenho absoluta certeza que não me referi ao nome que por tanto tempo me assolou.

Como bem ressaltei, eu mudei. É verdade que volto às origens, diferente dos últimos meses, mais desenvolto e menos dramático. Consegui provar a existência do sentimento e agora provo que por mais difícil que seja é sim possível acabar com ele.

Escrevo-os ainda, imagino lugares dos quais eu gosto, mas não é contigo que fantasio ou chego a minha êxtase de inspiração. Não lhes digo que os bons momentos foram apagados, mas sim a ponta de sentimento que restava.

Caminhamos firmes Adolf, juntos a redenção de algo que nos uniu. Que o passar do mais belo sentimento não influencie nossa amizade e que sejamos sinceros.

Como de costume, tenho minhas recaídas e cada vez que as tiver prometo lhe contar.

Não acredito que sofrerei, ou me completarei com o sentimento do vazio, mas é difícil abandonar algo que me dera tanto alento para escrever. De qualquer forma encerro por aqui Adolf.

Estou feliz. Volto a cobiçar e ser engraçado, como um dia já fui e como quero ser de novo.

Matheus.

2 comentários:

  1. Que saudade de dormir assim :~

    Não acho que "ponta de sentimento" tenha sido apagada, afinal, tu ainda tem as tuas "recaídas".

    ;*

    ResponderExcluir
  2. "Esporte, espírito olímpico, coisas que sequer existem e são enfiadas goela abaixo".

    CONCORDO

    ResponderExcluir